Espetáculos

K'un: o receptivo - 2001
Casa de Farinha - 2006
O Sapo e a Bromélia - 2011
De Porto e Alma - 2012
Siranda - 2013
Fragmentos - 2014



Espetáculo criado para o I Encontro da Cultura Negra em Paraty. Baseado na mitologia africana da criação do mundo,foi trabalhado basicamente com improvisações sobre o tema.Depois da criação do mundo aborda o tráfico de escravos com a poesia Navio Negreiro de Castro Alves recitada. Elenco: Jorge Schutze, Mariana Sales, Omar, Derly e Vanda Mota. Músicos: Luís Perequê e os percussionistas Kati e Hamilton Vaz. 

O espetáculo procura retratar os principais arquétipos do universo feminino tais como maternidade, sensualidade e amor. Elenco: Vanda Mota, Mariana Sales, Flávia, Diana Saviolli, Carolina Raed, Jorgelina e Veronica Diaz. 

O espetáculo mostra a trajetória de duas irmãs que deixam seu ambiente familiar e se deparam com as diferenças culturais que vem e vão com a ocorrência do turismo na cidade. As novas características sociais com que se deparam criam um conflito entre elas.Mas a tomada de consciência do próprio papel na vida faz com que os personagens revertam essa situação. O espetáculo Casa de Farinha fala das transformações inevitáveis que ocorrem na sociedade e de como se pode passar por isso sem perder o que nos é essencial: a dignidade. Foi encenado com vários elencos.


  






A companhia DançanteAto é conhecida por suas coreografias de dança contemporânea, que unem inspiração na cultura local e um elenco formado por jovens da região de Paraty. Com linguagem simples, o espetáculo “O Sapo e a Bromélia” foi concebido pela bailarina Vanda Mota e pelo compositor Luis Perequê, e conta a história de um sapo que pensa que é pássaro.





"As primeiras palavras - Alma, Corpo e Dança - foram ficando genéricas para definir intenção do Espetáculo. Especificamos: De corpo e alma em Paraty. O que eu realmente busco expressar é que ‘o corpo é a alma’. Tratar a matéria sutil que permeia matéria mais densa como fonte de manifestação de movimento. O viver em Paraty como ponto de partida comum a todos do grupo." (Vanda Mota)
"Estimulamos por meio de laboratórios, imagens e emoções, sentimentos e sensações, e a relação de cada um dos intérpretes com o meio que habitam. Como preparação técnica levamos em consideração que cada corpo que dança tem a sua própria bagagem, técnica e emocional." (Silvina Hurtado)








À luz da música e da dança caiçara, emerge o indivíduo na comunidade... Criador dos seus próprios vínculos, suas próprias realidades. Corpos sensíveis que percebem o outro em sua individualidade, em seus sonhos e desilusões. A terra. O mar. Realidade móvel, cíclica, recriando-se no cotidiano de cada ser. Ciranda... “SIranda”... um SIM contemporâneo à resistência das nossas tradições e manifestações culturais.

















A Companhias DançanteAto 1 e 2 apresentam o programa Fragmentos, com diversos trabalhos compostos durante o ano de 2014. Dentre eles, uma série de danças sobre o poeta, político, músico e ator paratiense Zé Kleber, personagem importante da nossa cidade. A programação conta ainda com um trabalho inspirado no livro “Cartas a um jovem poeta”, de Rainer Maria Rilke, dançado pela Cia DançanteAto 2, além de diversas performances criadas pelos bailarinos da companhia DançanteAto 1. Todos os trabalhos têm a direção de Vanda Mota.